Reflexões

Por que todos estão fazendo a mesma coisa?

Não é novidade que, quando alguém lança alguma moda, ou melhor ainda, quando surge uma nova tendência, todos começam a agir de acordo com o que essa tendência dita.

Por que antigamente todos usavam cabelo black power, calça boca de sino e correntes enormes com o símbolo do paz e amor? Sinceramente não sei quem inventou isso, mas a verdade é que a moda pegou, e durou um bom tempo até inventarem outra.

Mas afinal, quem será que “inventa moda”? Começo a concluir que não é a primeira pessoa que pensou naquilo, mas sim a primeira que decidiu tornar aquele algo público e conhecido.

Lembram do boom dos blogs de moda? Não sei de onde veio isso, mas a verdade é que começou a dar certo e surgiram milhares de blogs (bons e ruins) com a mesma proposta.

Depois veio o boom dos canais de maquiagem. Depois o boom dos canais de culinária. Depois o boom do fitness. Da cozinha para intolerantes. Do whey, da batata doce (argh, treco ruim!), do suco verde, do shake pós-treino e por aí vai.

A verdade é que foram tantos booms sobre tantos assuntos, que não da pra saber realmente qual foi a primeira mente que pensou naquilo e decidiu tentar algo novo e tornar real.

Por mais que você não queira imitar algo, você acaba implícito no meio da tendência toda. E mais, as pessoas acostumam-se com padrões, sejam eles sonoros ou visuais.

Se você gosta de lanchonetes com aquele ambiente retrô, meio anos 50, onde praticamente da pra ver o Elvis e a Marilyn sentados dividindo um milk shake, não importa que você já tenha ido a uma lanchonete dessas, você simplesmente vai querer ir em todas com esse mesmo estilo, simplesmente porque lá tem o que você gosta. E você se acostumou com aquilo. Se todas as lanchonetes tem milkshake de Ovomaltine, então todas imitaram o Bob’s? Aliás foi o Bob’s mesmo que fez essa combinação primeiro?

Se você se acostuma com um tipo específico de produto, quando conhece um novo provavelmente seu primeiro questionamento será: ué, mas esse produto não tem aquela coisa x que todos os outros produtos dessa categoria tem?

Ou seja, o homem gosta de coisas iguais. Quantas vezes você já viu o mesmo filme, por gostar tanto dele? Quantas vezes vai a um restaurante e pede sempre a mesma comida, mesmo com um cardápio cheio de outras opções? Você coloca sua música favorita no repeat e ouve 10x seguidas?

Bom, alguma coisa repetida você certamente faz. No fundo, gostamos de “mais do mesmo”, embora muitas pessoas critiquem quem começou em um ramo já existente fazendo “a mesma coisa que outra pessoa faz”. Porém essa é a brincadeira.

No boom de fitness, quantas Pugliesis você passou a seguir no Instagram? Quantos perfis de gastronomia você acompanha por dia? E de moda? E de maquiagem? E perfis que postam bichinhos fofos? Seja qual for o assunto, dificilmente nos apegamos a ele de uma única fonte.

O famoso “Vai Que Cola” (que pra mim só tem graça por causa do Paulo Gustavo e olhe lá) não é nenhuma novidade. Alguém aí lembra de “Sai de Baixo”? Queridos, nem Lady Gaga é original como vocês pensam ;)
Até mesmo o jeito de escrever das pessoas fica igual na internet. Mesmas hashtags, mesmas expressões, mesmos trocadilhos e a lista não para.

Quando um assunto te interessa, você quer saber quem mais fornece aquilo, e se vai te agradar ou não. Acho que um bom exemplo também são as famosas séries gringas. Não entendo como uma pessoa consegue ser “viciada” em 10 séries diferentes. Eu acompanhei as mais clichês da televisão (Friends <3), mas uma de cada vez, não consigo assistir todas ao mesmo tempo (embora a quantidade de canais que eu assisto no YouTube é imensa, então deve ser a mesma coisa rs), porém quem realmente gosta de séries não vai querer acompanhar uma só, nem que ambas sejam sobre os mesmos assuntos (alô séries de investigação criminal).

Acho engraçado pessoas te criticarem pois você quer virar “mais uma” blogueira ou YouTuber, porém se eu quisesse ser “mais uma” médica ou advogada, aí estaria tudo bem? Parece que se dar bem na internet é “pra quem deu sorte”, sendo que as pessoas nem imaginam a trabalheira, o esforço e o cansaço diário que é tentar se divulgar e promover todo santo dia. Ser público é um trabalho como outro qualquer, afinal foi isso que você escolheu ser! Assim como profissões tradicionais tem as mesmas funções (que você VAI ter que exercer) não importa o quão “original” você seja, se tornar uma figura pública provavelmente vai te exigir os mesmos passos.

Se você tem um canal de culinária e faz donuts, vem dizer que você copiou outra pessoa que já havia feito. E nem importa serem duas receitas totalmente diferentes, ao invés de você assistir dois jeitos diferentes de fazer a mesma coisa (que no final fica com a mesma cara), não, você vai lá e critica pelo puro prazer de criticar.

Acho que antes de criticar qualquer pessoa que age, faz ou fala igual a outra, você precisa olhar para si mesmo e se perguntar se você não tem um ídolo. Alguém que você admira, com quem você se identifica e até gostaria de ser mais parecida com aquela pessoa.

Agora, se você não admira ninguém, realmente sua função na vida vai ser julgar precocemente os outros e semear coisas negativas ¯_(ツ)_/¯

Leia também

2 Comentários

  • Responder
    Natasha Romaszkiewicz
    5 February, 2015 at 23:15

    “Acho engraçado pessoas te criticarem pois você quer virar “mais uma” blogueira ou YouTuber, porém se eu quisesse ser “mais uma” médica ou advogada, aí estaria tudo bem? ”
    Sen-sa-cio-nal! Sério! Nem sei o que dizer, seu texto foi DEMAIS mesmo! Por que administradores e engenheiros e etc é ok virar “mais um” e fazer “mais do mesmo” e blogueiras não, né?
    Muito bom mesmo (:

    • Responder
      Pamela Rebelo
      6 February, 2015 at 09:15

      Oie Natasha! Ai menina, é realmente isso. Tem toda uma “glamourização” em cima das novas profissões web e quem ta começando simplesmente é massacrado pelos fãs dos canais e blogs que já existem e é obrigado a ouvir que “você nunca vai ser tão boa quanto quem já existe”. Fico pensando se todas que fizeram canais de maquiagem depois da Camila Coelho pensassem assim rs
      Ahh, mas que bom que gostou :D

    Deixe seu comentário