Reflexões

Quando planejar já não é suficiente

Esses dias me deparei com a seguinte realidade: há meses eu tenho tentado reorganizar minha rotina, anotar tudo que realmente preciso fazer em um dia útil da semana, definir horários, prioridades, ordem e tudo mais.

A questão é que: por algum motivo não identificado eu simplesmente NÃO CONSIGO MAIS SEGUIR UMA ROTINA!

Sabe quando você precisa recuperar um velho hábito que era certo e te fazia bem de alguma forma, mas simplesmente não é mais possível dar marcha ré? Parece que, de repente, você mudou (talvez pra pior) e não consegue mais voltar naquele estado que teoricamente “era melhor pra você” e que sinalizava um hábito diário correto.

E o pior é que esse tipo de mudança é totalmente imprevisível. A maioria das pessoas (as que desejam se aperfeiçoar, pelo menos) sabem que mudanças deveriam ser positivas, deveriam te fazer evoluir, avançar, chegar mais perto de um objetivo, te otimizar como pessoa.

Mas e quando a mudança é algo “ruim”? E quando, ao invés de evoluir, nós ‘involuímos‘? Em qual momento isso acontece? Porque, honestamente, eu não percebi. O idioma inglês tem uma ótima expressão pra isso que é “I didn’t see that coming”. Traduzindo ao pé da letra (não façam isso) seria “Eu não enxerguei isso vindo”.

Ou seja, eu não esperava por isso. Comecei esse ano de 2015 super produtiva, focada, entusiasmada, sentia que ninguém ia me parar. Mas a verdade é que no fim das contas eu parei a mim mesma. Confuso, não?

Talvez esteja na hora de admitir que nós (seres humanos) não somos constantes. Que mudamos o tempo todo, principalmente nossas opiniões, perspectivas, pensamentos, achismos, rotinas e tudo mais. E que nem sempre você se conhecia tão bem quanto achava. Que talvez você não vá ser aquela pessoa perfeita que dá o melhor exemplo de vida produtiva pra todo mundo.

E nessas horas você se sente uma verdadeira farsa. Sim, pois sendo a entusiasta que sempre tento ser, sendo alguém que sempre incentiva o outro a dar o melhor de si e a fazer o melhor com o que tem nas mãos, é absurdo que eu mesma já não consiga seguir esse exemplo em algumas áreas da minha vida.

Talvez seja só uma fase. Dizem que quem tem interesse não da desculpas, mas a verdade é que alguns fatores externos são fortes demais para serem ignorados e simplesmente não tem como eles não influenciarem no seu humor e estado de espírito. E provavelmente são esses fatores que tem me deixado indisposta em relação há algumas coisas que deveriam ser totalmente diferentes, mas no momento, não tem como, não ta rolando! D:

Leia também

4 Comentários

  • Responder
    Tamara
    13 April, 2015 at 14:37

    Queria poder dizer alguma coisa para ajudar, mas eu AMO rotina e estou tão acostumada que quando preciso encaixar coisas novas, não demoro muito a me acostumar.

    Acho que o principal é você não estabelecer coisas demais para fazer senão você não dá conta, se frustra e a motivação vai embora pelo ralo.

    Usando meu dia-a-dia como exemplo, estabeleço coisas para fazer durante a semana (fim de semana é livre) e deixo algumas horas livres de cada dia para fazer outras coisas que não tinha planejado. Pra mim funciona super bem!

    • Responder
      Pamela Rebelo
      13 April, 2015 at 17:22

      Pois é, Tami! Acho que vou ter que começar a fazer minhas to-do-lists da semana e não mais do dia, pq não consigo mais ter a rotina que tinha tipo “de tal hora a tal hora, fazer isso, depois aquilo” :(

  • Responder
    Babee
    18 April, 2015 at 07:08

    Já eu não sou muito chegada em rotinas, prefiro ter meu tempo pra fazer cada coisa. De fato, a rotina tem muitas vantagens e a maior delas é ser previsível, mas ele pode se tornar muito entediante quando se torna constante, você se acomoda. Mas se você sente falta de ter uma organização, tenta montar um alarme com atividades, listas são uma boa também! Tem aquele Pomodoro (?), tomate de atividades.

    Eu gosto de me desprender da rotina a noite, porque é impossível desprender dela na firma, né? Somos adultos e temos responsabilidades, mas de noite eu consigo ter uma liberdade maior do que fazer, se eu quero produzir algo, se eu quero apenas deitar e assistir seriado, me dou esta liberdade pra relaxar :D

    E olha, não desanime, apenas tente se organizar com poucas atividades essenciais, como a Tamara disse, até você se acostumar!

  • Responder
    Yoh
    4 May, 2015 at 22:09

    Primeiramente, foi muito bom te reencontrar muitos anos pós get-upan! :)

    Olha, passei quase dois anos da minha vida nessa situação. Era tanta coisa que me chateava que não tinha ânimo pra nada, não conseguia realizar as coisas que queria e por um tempo acho que deixei até de querer! Tem vezes que não dá mesmo pra gente simplesmente dar a volta por cima, como se isso fosse tão simples assim.
    Hoje em dia eu me sinto bem melhor, embora ainda esteja juntando cacos desse período ruim, mas posso te garantir que estou incomparavelmente melhor, e a volta do blog tem muito a ver com isso. Tenho certeza que uma hora a maré vira pra você também, e espero que essa hora chegue logo na sua vida! É preciso um pouquinho de força de vontade, é verdade, mas quando a gente dá o primeiro passo e começa a ver a vida com outros olhos, vislumbrando um amanhã melhor, ele vem! E você vai nos contar isso logo logo! (yn)

    Beijão ;**

  • Deixe seu comentário